• (11) 94371-0022

Gestão de academia: fidelize seus alunos e seja a número 1

Segundo a pesquisa Global Report 2014, realizada pelo IHRSA (International Health, Racquet & Sportsclub Association), o Brasil está em segundo lugar no ranking dos países que mais investem em academias. Além disso, dados da  Associação Brasileira de Academias (Acad) nos dizem que há mais de 33 mil academias no país, as quais juntas movimentam cerca de US$ 2,5 bilhões.

 

Mesmo com números expressivos, há uma defasagem no mercado. Muito disso é influenciado pela popularização das academias low-coast, aquelas que oferecem uma boa estrutura por mensalidades mais acessíveis, que giram em torno dos R$60. E se você for analisar, a crise parece não chegar neste modelo de negócio.

O que deve ser considerado é que ambos os modelos de negócio (academias convencionais e low-coast) oferecem o mesmo resultado: atendimento superficial e bons aparelhos.

Mas a questão vai além: enquanto o modelo convencional promete qualidade e resultados extraordinários, a low-coast não promete nada demais: apenas um espaço com atendimento básico e aparelhos.

 

Aí fica a pergunta: se nas duas academias eu terei à disposição o mesmo serviço e resultados iguais, por que o cliente pagaria a mais cara? Veja o vídeo abaixo, leia o texto e saiba exatamente como se diferenciar nesse contexto!

 

 

Percepção de valor x Fidelização

Preocuope-se com a retenção. Isso vai te ajudar a ter mais alunos

Sabemos que não é fácil manter um cliente ativo. Vale frisar que os alunos permanecem cerca de 2 a 4 meses na academia, depois abandonam os programas. No entanto, é possível estender esses contratos para prazos maiores, de até 2 anos – podendo elevar suas matrículas em até 30%. Para isso acontecer, há apenas um caminho: fazer o seu cliente perceber o valor proposto pelo seu negócio.

 

Proporcionar uma experiência de excelência é fator decisivo para que seu cliente seja fiel. Essa experiência de valor engloba alguns pontos específicos, como o oferecimento de um bom atendimento e acompanhamento individualizado e personalizado.

 

A figura principal responsável por grande parte do sucesso nessa relação é o professor. Ele deve estar preparado e capacitado para recepcionar e atender bem o aluno, indo muito além da definição de treinos.

 

Infelizmente, não é o que acontece acontece hoje nas academias. Muitos professores resumem-se a criar uma ficha de treino, sem considerar as necessidades do aluno, sem estreitar e relação e sem se importar, de fato, com os resultados de seu cliente.

 

Relação próxima entre professor e aluno

Para reverter a situação e otimizar os resultados da academia convencional, a relação entre professor e aluno deve ser a mais estreita possível. O ideal é fazer com que o professor seja totalmente responsável pela carteira de alunos, acompanhado-os individualmente.

 

É certo que quando um aluno vai à academia, ele quer ser bem recebido pelo seu professor. Deseja que o profissional sugira as melhores saídas para suas necessidades, que entenda seus desejos e contribua para que os resultados ideias sejam atingidos.

E isso pode ser feito, na prática, utilizando algumas estratégias bem simples. Veja a seguir.

Recepção cordial

Nada mais estimulante do que ser recepcionado com um “bom dia”, antes de iniciar seu treino. O cliente gosta, e precisa, ser atendimento cordialmente. Isso torna a experiência mais confortável e prazerosa.

É papel do professor realizar esse atendimento diário de boas-vindas. No próximo treino, o cliente saberá que na academia que ele frequenta terá alguém pronto para recebê-lo com um sorriso no rosto.

 

Diálogo  e avaliação das necessidades

É muito comum que professores criem fichas de treino considerando apenas seus conhecimentos pessoais. No entanto, os treinos devem ser desenvolvidos depois de uma conversa com o aluno.

O professor precisa entender as reais necessidades do aluno, o que precisa, o que ele quer e como quer para, aí sim, desenvolver uma rotina de treinos personalizada e que se encaixe no perfil do cliente.

 

Acompanhamento de alunos faltosos

Quase nenhuma academia direciona essa ação aos professores, porém, ele deve ser responsável por isso.

Se durante a semana 5 alunos daquele profissional faltaram aos treinos, ele deve entrar em contato e entender o motivo da falta. Além disso, deve tentar, de todas as formas possível, trazer esse aluno de volta.

Se o professor já possui uma relação mais próxima e aberta com o cliente, esteja certo de que esse retorno pode ser ainda mais fácil, uma vez que o aluno já confia no profissional.

Não há como fugir: saem na frente as academias que oferecem a experiência mais valiosa aos seus clientes. E, nesse sentido, um atendimento impecável é prioridade!

Esperamos que você possa utilizar nossas dicas para agregar valor à sua academia e fidelizar seus clientes. Ofereça um atendimento de primeira e colha os melhores frutos.

 

Turbine sua gestão: baixe nosso e-book “Liderança de Equipes para Academias” e potencialize o seu desempenho como líder!


Relacionados

Recepcionistas que Vendem ou Vendedoras que Recepcionam?

Recepcionistas que Vendem ou Vendedoras que Recepcionam?

Planejamento para Academias: 5 dicas para sua Academia colocar em campo a melhor estratégia durante a Copa do Mundo 2014

Planejamento para Academias: 5 dicas para sua Academia colocar em campo a melhor estratégia durante a Copa do Mundo 2014

Homenagem da Acade ao Dia do Profissional de Educação Física

Homenagem da Acade ao Dia do Profissional de Educação Física